sexta-feira, 13 de setembro de 2019

CLOSE-UP - Observatório de Cinema: o Tempo 4.º episódio, de 12 a 19 de Outubro na Casa das Artes de Famalicão.



CLOSE-UP - Observatório de Cinema: o Tempo
4.º episódio, de 12 a 19 de Outubro na Casa das Artes de Famalicão

O Tempo é a perspectiva que escolhemos como mote para a quarta edição do Close-Up. O Tempo que passa e o Tempo do Cinema. Do Observatório, cenário para múltiplos olhares, a história desenrola-se perante os nossos olhos, e o Cinema, como máquina que permite deslocamentos no tempo, lança-nos na espiral complexa das histórias do passado e do futuro, projectadas no presente: da delicadeza de Agnès Varda a filmar, com uma câmara digital, numa mão a passagem do tempo, às descontinuidades de O Acossado de Jean-Luc Godard, montagem para um tempo indeterminado e para sensações de outra realidade.

Nas noites de abertura e encerramento, dois filmes-concerto apresentados em estreia, duas encomendas que resultaram em músicas originais, da Orquestra de Jazz de Matosinhos e dos Mão Morta, para dois filmes, sopros notáveis do cinema russo: O Couraçado Potemkine de Serguei Eisenstein e A Casa na Praça Trubnaia de Boris Barnet. Para dois grandes autores do nosso tempo - Quentin Tarantino e Brillante Mendoza - encontramos espaço para duas sessões especiais: o acerto da História do fim dos sessentas com Era Uma Vez em… Hollywood e do cineasta de Lola, a ante-estreia de Alpha: Nos Bastidores da Corrupção, cinema humanista nas Filipinas, território de todas as desigualdades. 

As Paisagens Temáticas – O Tempo, secção-mote do Close-up, preenchem-se de ficção e documentário, de produção contemporânea, um panorama como um livro do nosso tempo. Um dos eixos do programa dispõe-se nas Histórias do Cinema, Um Passeio pelo Cinema Francês, com centro na nouvelle vague, e raio que se estende no tempo, para trás e para diante, com dois protagonistas – Agnès Varda e Jean-Luc Godard, mas que inclui outros nomes que inquietaram a produção da época, cineastas que perduram como modelos: Jean-Pierre Melville, Sacha Guitry, Max Ophüls, Georges Franju ou Louis Malle.

A Fantasia Lusitana, secção de produção portuguesa, estará Na Órbita de Eduardo Brito, um programa em volta dos filmes escritos e realizados pelo cineasta-fotógrafo, onde se incluem duas curtas-metragens em estreia, sendo Úrsula resultado de uma encomenda do Observatório de Cinema. O cinema de terror norte-americano tem incorporado os temas e os medos destes tempos, um cinema de texturas e discursos que nos chega pela lente de novos autores, espíritos deste tempo, na observação de um mundo difuso, na secção Medo e Terror na América: que fantasmas venham ao nosso encontro na sala escura.

No coração do Close-up, um extenso programa de Cinema para as Escolas: dez sessões, divididas entre os auditórios da Casa das Artes, dos Agrupamentos de Escolas, da ACE – Escola de Artes de Famalicão, da OFICINA e da Universidade do Minho, direccionadas para todos os escalões etários, incluindo animação e documentário, oficinas e uma masterclasse de Pedro Serrazina. Ao abrigo do Café Kiarostami, o foyer e o café-concerto apresentarão música, a poesia de João César Monteiro e uma mesa redonda que, motivada pelas alterações proporcionadas pelo tempo, debaterá A História do Espectador e da Cinefilia. No primeiro Toy Story ouvia-se Hakuna Matata!: 24 anos depois, as Sessões para Famílias cruzam o tempo e juntam gerações com a exibição de Toy Story 4 e a versão live action de O Rei Leão. 

O cineasta João Canijo a comentar o trabalho com os actores de Mike Leigh em Segredos e Mentiras ou o pianista Filipe Raposo no encontro com o trompete de Miles Davis em Fim de Semana no Ascensor: as sessões comentadas estendem-se por todo o programa de 40 sessões em oito dias, na Famalicão Cidade Cinema: seja um dos viajantes da quarta dimensão do Close-up, à aventura na experiência do tempo do Cinema.


CLOSE-UP – DESTAQUES 

FILMES-CONCERTO  

Orquestra de Jazz de Matosinhosfilme-concerto - O Couraçado Potemkine de Serguei Eisenstein – 12.Out (21h30, GA)  - ESTREIA




Título original: Bronenosets Potyomkin (Rússia, ficção, 1925, 70 min)
Classificação: M/12

É um dos melhores filmes de todos os tempos, um dos mais conhecidos da história do cinema e apresenta uma das mais célebres sequências da sétima arte. Para Charlie Chaplin, era mesmo o seu favorito. Realizado por Sergei Eisenstein, "O Couraçado Potemkin” é um filme mudo soviético que estreou em 1925 e apresenta uma versão dramatizada da rebelião ocorrida em 1905, onde os tripulantes do navio de guerra Bronenosets Potyomkin/O Couraçado Potemkin se revoltaram contra seus oficiais superiores. Razões mais que suficientes para este ser um grande desafio para a Orquestra Jazz de Matosinhos e o seu director, Pedro Guedes, compositor da música original. Integrado na IV edição do Close-Up - Observatório de Cinema de Famalicão, o filme-concerto "O Couraçado Potemkin” estreia dia 12 de Outubro na Casa das Artes de Famalicão.

A Orquestra Jazz de Matosinhos, criada em 1999 com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos, é um laboratório permanente. Não esquece a tradição das grandes big bands do passado, mas promove continuamente a criação, a investigação, a divulgação e a formação na área do jazz, cruzando a ambição internacional com o sentido de responsabilidade local. Constituindo uma autêntica orquestra nacional de jazz, apresenta repertórios de todas as variantes estéticas e de todas as épocas do jazz, assumindo-se como um fórum alargado de compositores e músicos, lançando pontes, estabelecendo parcerias e produzindo um repertório nacional específico para big band contemporâneo, versátil e diverso. Dirigida por Pedro Guedes e Carlos Azevedo, tem colaborado com nomes tão diversos como Maria Schneider, Carla Bley, Lee Konitz, John Hollenbeck, Jim McNeely, Kurt Rosenwinkel, João Paulo Esteves da Silva, Carlos Bica, Ingrid Jensen, Bob Berg, Conrad Herwig, Mark Turner, Rich Perry, Steve Swallow, Gary Valente, Dieter Glawischnig, Stephan Ashbury, Chris Cheek, Ohad Talmor, Joshua Redman, Andy Sheppard, Dee Dee Bridgewater, Maria Rita, Maria João, Mayra Andrade, Manuela Azevedo, Sérgio Godinho, Manuel Cruz,  Fred Hersh, Rebecca Martin, Peter Evans, Fay Claassen entre muitos outros.  



MÃO MORTA filme-concerto - A Casa na Praça Trubnaia de Boris Barnet – 19.Out (21h30, GA) - ESTREIA




Título original: Dom na Trubnoi (Rússia, ficção, 1928, 80 min)
Classificação: M/12

Parasha Pitunova chega a Moscovo, vinda da província, para trabalhar como empregada doméstica. Esta comédia conta a história da casa onde ela vai trabalhar, e dos seus habitantes. Uma sátira à hipocrisia da pequena burguesia, que sobrevivera na URSS à Revolução e que continuava, sorrateiramente, a explorar os necessitados. Esta obra-prima de Barnet, o outsider do cinema mudo soviético, será apresentado com uma banda-sonora em estreia, composta e tocada ao vivo pelos Mão Morta, uma das principais bandas de rock portuguesas, com uma carreira de mais de 30 anos.

Os Mão Morta, formados em Novembro de 1984 por Joaquim Pinto, Miguel Pedro e Adolfo Luxúria Canibal, construíram um dos percursos mais sólidos e revelantes do rock nacional, com a edição de 12 álbuns de estúdio e 7 ao vivo, entre os quais “Corações Felpudos” (1990), “Mutantes S.21” (1992), “Müller no Hotel Hessischer Hof” (1997), “Há Já Muito Tempo que Nesta Latrina o Ar se Tornou Irrespirável” (1998), “Primavera de Destroços” (2001), “Nus” (2004), “Pelo Meu Relógio São Horas de Matar” (2014), que deambulam entre géneros como o punk rock, metal, ou industrial. Em 2019 Mão Morta cria um espectáculo de dança contemporânea, "No Fim Era o Frio", com 6 bailarinos, sendo também o título do seu novo álbum de originais, que acabaram de editar e se junta assim aos outros 19 álbuns da sua discografia, grande parte deles sistematicamente incluídos nos diversos balanços dos melhores discos de sempre da música portuguesa. Em resposta à encomenda do Close-up, os Mão Morta estreiam na Casa das Artes de Famalicão a banda sonora para o filme A Casa na Praça Trubnaia, com mais de 80 minutos de música composta para esta apresentação, que entrará para o seu património de históricas apresentações ao vivo.


Sessões para Famílias

 Toy Story 4 de Josh Cooley (versão portuguesa, 3D) _ 13.Out (15h00)

Título original: Toy Story 4 (EUA, animação, 2019, 85 min)
Classificação: M/3

Passados 24 anos do primeiro "Toy Story", que marcou a estreia da Pixar nas longas-metragens e a primeira vez que um filme foi totalmente animado a computador, a história do Xerife Woody e do astronauta Buzz Lightyear, dois brinquedos, e dos seus amigos, chega ao quarto capítulo. Desta feita, a trama gira à volta de Forky, uma mistura entre uma colher e um garfo que tem uma crise existencial e desaparece. Cabe, então, aos outros brinquedos embarcarem numa aventura em busca dele.

Após a projecção de Toy Story 4, haverá uma oficina “Pump up the Story — a história dos teus brinquedos”, que tem participação limitada a uma inscrição prévia.
“Pump up the Story — a história dos teus brinquedos”, onde serás tu o realizador. A partir de postais Pop-up, que serás tu a fazer e com imagens das tuas personagens preferidas, criarás novos cenários e histórias espetaculares onde os brinquedos que habitam o teu quarto, se tornam as personagens principais!
Inscrições: casadasartes@vilanovadefamalicao.org


O REI LEÃO de Jon Favreau (versão portuguesa) _ 19.Out (15h00)

Título original: The Lion King (EUA, animação, 2019, 110 min)
Classificação: M/6

Nas Terras Altas de África, o leão Mufasa reina com sabedoria e generosidade, conquistando o respeito do seu povo. Simba, o seu filho, crescerá e, a seu tempo, tomará o seu lugar, respeitando o equilíbrio entre todas as formas de vida. Tudo parece pacífico à excepção de Scar, o ressentido irmão de Mufasa, que sempre aspirou subir ao trono. Na sua obsessão de se tornar rei, Scar não olhará a meios para eliminar Mufasa e a sua cria para atingir os seus propósitos...Depois do sucesso mundial de "Rei Leão", vencedor de dois Óscares em 1995, a Walt Disney Pictures e a Fairview Entertainment usam tecnologia de ponta para recriar a mesma história em versão "live-action". Regressa assim ao grande ecrã o destemido Simba que, com grande coragem e dignidade, reconquistou o trono do seu pai com a preciosa ajuda de Timon e Pumba, os seus dois grandes amigos.


sessões especiais

ERA UMA VEZ EM…HOLLYWOOD de Quentin Tarantino _ 15.Out (21h30, GA) _ sessão especial

Título original: Once upon a time in Hollywood (EUA, ficção, 2019, 150 min)
Classificação: M/12

Um ator apagado e o seu duplo embarcam numa odisseia para tentarem vingar na indústria cinematográfica de Hollywood. O ano é 1969 e Charles Manson lançou o terror em Los Angeles com a sua visão apocalíptica do “Helter Skelter” e o assassinato de Sharon Tate, mulher do realizador Roman Polanski…O nono Tarantino com um elenco de luxo: Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Al Pacino, Kurt Russell, entre outros



ALPHA: nos bastidores da corrupção de Brillante Mendoza _ 18.Out (21h45, GA) _ ante-estreia

Título original: Alpha: The Right to Kill (Filipina, ficção, 2019, 95 min)
Classificação: M/12

Tendo como pano de fundo a luta do governo das Filipinas contra as drogas ilegais, uma força policial liderada pela SWAT lança uma operação para prender Abel, um dos maiores traficantes de droga de Manila. O agente Espino e Elijah, um pequeno passador de droga que se tornou informador, tratam das informações para a operação, que rapidamente se transforma num violento confronto armado, nos bairros de lata, entre a SWAT e o gangue de Abel. Esta atitude de sobrevivência por um lado e de corrupção por outro, irá desencadear uma perigosa série de eventos, levando ambos a arriscar as suas reputações, a suas famílias e as suas vidas. Prémio Especial do Júri no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián



PROGRAMAÇÃO

12 de Outubro (sábado)

(15h00, foyer) Poesia de João César Monteiro por Isaque Ferreira _ [7]

(16h00, PA) O LIVRO DE IMAGEM de Jean-Luc Godard _ comentado por Inês Lourenço e Luís Mendonça _  [2]

(18h00, PA) VARDA POR AGNÈS de Agnès Varda _ comentado por Inês Lourenço e João Catalão _  [3]

noite de abertura



(21h30, GA) O Couraçado Potemkine de Serguei Eisenstein pela ORQUESTRA DE JAZZ DE MATOSINHOS – Filme-concerto _ estreia



(23h00, PA) ELE VEM À NOITE de Trey Edward Shults _ comentado por Luís Mendonça _ [5]

(23h55, café-concerto) DJ Set de Pedro Tenreiro _ [7]


13 de Outubro (domingo)

(15h00, GA) TOY STORY 4 de Josh Cooley (versão portuguesa, 3D)_ [8]

(15h00, PA) JOHN MCENROE: O DOMÍNIO DA PERFEIÇÃO de Julien Faraut _ comentado por Luís Miguel Oliveira _  [2]

(17h00, café-concerto) Videoclips e Filmes Experimentais de Eduardo Brito
_ [7]

(18h00, PA) CURTAS REALIZADAS por Eduardo Brito _ [4]

Projecção das curtas metragens realizadas por Eduardo Brito, incluindo duas estreias, Sendo Úrsula uma encomenda do Close-up.

(21h30, PA) A FEITICEIRA DO AMOR de Anna Biller _ comentado por Carlos Alberto Carrilho _  [5]

14 de Outubro (2.ª feira)



(14h30, Universidade do Minho) DUAS HORAS NA VIDA DE UMA MULHER de Agnès Varda _  [6]

(19h30, Agrupamento de Escolas D. Sancho I) FANTASIA LUSITANA de João Canijo _ comentado por João Canijo _  [6]

 (21h30, PA) SEGREDOS E MENTIRAS de Mike Leigh _ comentado por João Canijo
_  [2]

15 de Outubro (3.ª feira)

(10h00, GA) O ACOSSADO de Jean-Luc Godard _  [6] Cinema para as Escolas (3.º ciclo, secundário e audiovisuais)

(15h00, GA) RAPOSA MANHOSA E OUTRAS HISTÓRIAS de Patrick Imbert, Benjamin Renner_ [6] Cinema para as Escolas (1.º e 2.º ciclos)

(18h30, PA) DOIS HOMENS EM MANHATTAN de Jean-Pierre Melville _ comentado por Luís Urbano _ [3]

(21h30, GA) ERA UMA VEZ EM…HOLLYWOOD de Quentin Tarantino _ [2]



16 de Outubro (4.ª feira)



(10h00, PA) OFICINA “QUANTO TEMPO TEM O TEMPO NO CINEMA” _  [6] Cinema para as Escolas (3.º ciclo, secundário e audiovisuais)

(15h00, Escola Básica Vale do Este) OFICINA “RODA VIVA – OS BRINQUEDOS ÓPTICOS DA PRÉ-HISTORIA DO CINEMA“ _  [6]

(18h30, PA) HÁLITO AZUL de Rodrigo Areias _ comentado por Eduardo Brito e Rodrigo Areias _ [4]

(21h30, PA) PEDRO, O LOUCO de Jean-Luc Godard _ comentado por Paulo Mendes e Pedro Oliveira _ [3] 

17 de Outubro (5.ª feira)

(10h00, GA) MUR MURS de Agnès Varda _ comentado por Tânia Leão _  [6] Cinema para as Escolas (3.º ciclo, secundário e audiovisuais)


(15h00, ACE) VENENO de Sacha Guitry _  [6] Cinema para as Escolas


(18h30, PA) O PRAZER de Max Ophüls _ comentado por Carlos Nogueira e Vasco Câmara _ [3]

(21h30, GA) ANOITECER de Laszló Nemes _ comentado por Carlos Nogueira e Vasco Câmara _ [2] 

18 de Outubro (6.ª feira)



(10h00, Oficina) Masterclasse de PEDRO SERRAZINA _ [6] Cinema para as Escolas

Sessão no âmbito da celebração dos 20 anos da Agência da Curta Metragem, com uma masterclasse de Pedro Serrazina e uma carta branca, com a selecção de curtas de outros realizadores

(15h00, GA) MR. LINK de Chris Butler (versão legendada) _  [6] Cinema para as Escolas (2.º e 3.º ciclos)

(18h30, PA) Past Perfect de Jorge Jácome + Memória e Dicionário de Paulo Lima _ comentado por Jorge Jácome, Paulo Lima e Ricardo Vieira Lisboa _ [2]

(21h30, PA) OLHOS SEM ROSTO de Georges Franju _ comentado por Carlos Natálio e João Monteiro _ [3]

(21h45, GA) ALPHA: nos bastidores da corrupção de Brillante Mendoza _ ante-estreia

(23h15, PA) MANDY de Panos Cosmatos _ comentado por Carlos Natálio e João Monteiro _ [5] 

19 de Outubro (sábado)



(15h00, GA) O REI LEÃO de Jon Favreau (versão portuguesa) _ [8]

(15h00, PA) FIM DE SEMANA NO ASCENSOR de Louis Malle _ comentado por Filipe Raposo _ [3]

(16h45, café-concerto) MESA - A história do espectador e da cinefilia – dos nickelodeon’s aos torrentes _ [7]

(18h30, PA) CURTAS ESCRITAS por Eduardo Brito _ [4]



noite de ENCERRAMENTO



(21h30, GA) A Casa na Praça Trubnaia de Boris Barnet pelos MÃO MORTA – Filme-concerto _ Estreia

 (23h30, café-concerto) A Night Like This – Festa de Encerramento _ [7] 

Secções Temáticas

[1] Filmes-concerto

[2] Paisagens Temáticas: O Tempo

[3] Histórias do Cinema: Um Passeio pelo Cinema Francês, com dois protagonistas: Agnès Varda e Jean-Luc Godard

[4] Fantasia Lusitana: Na Órbita de Eduardo Brito

[5] Cinema Mundo: Medo e Terror na América

[6] Cinema para Escolas

[7] Café Kiarostami – Café-concerto e foyer

[8] Sessões para Famílias

 

Bilheteira Sessões

Geral: 2 euros
Cartão quadrilátero: 1 euro
Entrada livre: estudantes, seniores, associados de cineclubes



Bilheteira Filmes-concerto (Orquestra de Jazz de Matosinhos / Mão Morta)

Geral: 6 euros
Cartão quadrilátero, estudantes, seniores, associados de cineclubes: 3 euros



Bilheteira Sessões para Famílias

Geral: 2 euros
Cartão quadrilátero, estudantes, seniores, associados de cineclubes: 1 euro
Workshops Famílias - Adulto + Criança: 5 euros



Café Kiarostami (Foyer e Café-concerto): entrada livre


Toda a informação em www.closeup.pt e www.casadasartes.org

Fado no Café da Casa | Fadistas – Francisco Moreira Fadista, Mafalda Leite, Guitarra Portuguesa – Miguel Amaral Viola de Fado – André Teixeira


Fado no Café da Casa

Musica/ Fado

11 de Outubro | sexta | 22h00| café concerto

Entrada: 3 euros. Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 1,5 Euros

M/6

Duração: 80 min



Fadista, 1ª parte (20 min) – Francisco Moreira ( Vila do Conde)

Fadista, 2ª parte (40min) – Mafalda Leite (Santa Maria da Feira)

Guitarra Portuguesa – Miguel Amaral

Viola de Fado – André Teixeira



 Enaltecendo o Fado, a Casa das Artes irá celebrá-lo-á mensalmente e além de receber fadistas consagrados, será dada a oportunidade a novos intérpretes, músicos e até compositores. No Café Concerto decorrerão estas noites de fado, como se de uma típica e tradicional tasca de se tratasse, elevando e acompanhando o reconhecimento do “nosso” Fado, como Património Imaterial da Humanidade, atestado pela UNESCO.

  

Fado in the café-concerto

O Filho Pródigo – Filme Concerto de Luísa Pinto e Carlos Coelho A partir do texto de João Maria André e Helder wasterlain Música de Eduardo Silva e Ruca Lacerda | Estrei na Casa das artes de Famalicão

Estreia - 9 de Outubro | Quarta-feira |21h30 | Grande Auditório
O Filho Pródigo – filme-concerto
Cinema 
M/12
Duração: 50 min
Produção da Narrativensaio-AC em Coprodução com a Casa das Artes de V. N. Famalicão
Entrada: 4 euros. Estudante e Cartão Quadrilátero Cultural: 2 Euros


O Filho Pródigo – Filme Concerto de Luísa Pinto e Carlos Coelho
A partir do texto de João Maria André e Helder wasterlain
Música de Eduardo Silva e Ruca Lacerda

O Filho Pródigo-Filme-Concerto de Luísa Pinto e Carlos Coelho Costa é um filme com objetivos artísticos e sociais, cujo elenco é constituído por  reclusos e reclusas  dos dois estabelecimentos prisionais de Santa Cruz do Bispo e,  atores profissionais. Trata-se de um filme mudo, legendado e tocado ao vivo, com interpretação musical e composição original de Eduardo Silva e Ruca Lacerda.

"Arte inclusiva? Quem inclui quem? Quem são os atores sociais presentes nos projetos? Qual o seu real impacto artístico e social?

O Filho Pródigo - Filme Concerto  resulta de  tais inquietações. É uma proposta sobre a arte como possibilidade de reinserção social de reclusos e parte de uma ideia da encenadora Luisa Pinto, que depois de ter levado à cena em 2017  a peça de teatro O Filho Pródigo de João Maria André e Helder Wasterlain,  fora dos muros prisão, decidiu adaptar o projeto para cinema, em formato de Filme-Concerto.

Esta nova criação da Narrativensaio-AC que junta  na Tela o mesmo elenco da peça, pretende agitar consciências e incentivar a reflexão para se consagrarem possibilidades conjuntas, sobre objetivos emancipatórios para as práticas artísticas participativas inclusivas. Objetivando-se que no futuro se evite a guetização destes e de outros grupos que sofrem de exclusão  social.

O argumento de O Filho Pródigo fala de um filho que foi embora, um pai que o quer esquecer, uma mãe que não deixa de o relembrar e um irmão condenado a preencher o vazio que o outro deixou para trás. É dessa gente que se faz uma estória de dolorosos desencontros. E de perdão.

Outras entidades parceiras:

Direção‑Geral de Reinserção e Serviços Prisionais

Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo

Estabelecimento Prisional Especial de Santa Cruz do Bispo

Centro de Estudos Arnaldo Araújo-ESAP

Santa Casa da Misericórdia do Porto

SP-Escola de Teatro ( S. Paulo, Brasil)

Megalito Media



Realização - Luísa Pinto e Carlos Coelho Costa

Direção artística – Luísa Pinto

Direção de fotografia - Carlos Coelho Costa

Assistente Imagem - Ricardo Macedo

Edição e Montagem - Carlos Coelho Costa, Daniel Pedrosa

Correção de Cor - Francisco Videira

Composição Musical e Interpretação - Ruca Lacerda e Eduardo Silva

Voz e Letra - Adriana Maurício

Voz off texto – António Durães, Juan Luís Toboso, João Melo, Fernando Soares, Fernanda Lapa



Interpretação - Fernanda Lapa, João Melo, João Castro, Adriana Maurício, Fernando Soares, Ricardo Correia, Joana Guilherme Pinto, Paula Gonçalves, Mário Moutinho, Ana Catarina , Sergey Gonnochenko, Pedro Camilo, Isabel Coelho



Figuração Especial - Roberto Merino, Tiago Oliveira, Pedro Viçoso, Teresa Vieira, Manuel Vieira, Ana Paula Santos, Mário Loureiro, Raquel Ferreira, Andreia Silveira


Prodigal Son it’s a film concert by Luisa Pinto, about the importance of art in inclusion processes.

PaPI - Opus 8 - Coprodução da Casa das Arte de Famalicãos com a Companhia de Musica Teatral | Apresentações em para escolas.


PaPI - Opus 8

Coprodução da Casa das Artes com a Companhia de Musica Teatral

Apresentações em para escolas

Dia 1 e 2 de Outubro

Sessões às 10h e 11h15

Associação Gerações - Vila Nova de Famalicão

Dia 3 e 4 de Outubro

Sessões às 10h e 11h15

Centro Social e Paroquial Vale de S. Cosme - Vale de S. Cosme

 Dia 7 de Outubro

Sessões às 10h e 11h15

Talvaizinho - Creche e Jardim de Infância - Gavião

 Dia 8 e 9 Outubro

Sessões às 10h e 11h15

Centro Social e Paroquial de Ribeirão - Ribeirão

 Dia 10 de Outubro

Sessões às 10h e 11h15

Centro Social e Paroquial de Calendário - Calendário;

 Dia 11 de Outubro

Sessões às 10h e 11h15

Jardim de Infância de S. Martinho - S. Martinho do Vale.



Miguel Amaral e Yuri Reis – lançamento do disco Saudade | Casa das Artes de Famalicão.


Dia Mundial da Música
1 de Outubro| Terça-feira

 Miguel Amaral e Yuri Reis – lançamento do disco Saudade

Musica

21h30 | Foyer

M/6

Duração: 60 min
Entrada livre

Guitarra Portuguesa e Violão de 7 cordas. Choros, Valsas e Guitarradas formam um só país musical onde não se descobre a direcção das influências. Surge assim uma música que parece ter nascido no mesmo berço. Retrata 500 anos de história e uma profunda afinidade. Como as palavras, também as notas foram escritas na mesma língua. Obras de Ernesto Nazareth, L. Lamartine, Fontes Rocha, José Nunes, Casimiro Ramos, Pedro Amorim, João Camarero e Mário Laginha.

Miguel Amaral

Formação Musical com António Torres Pinto, Análise, Harmonia e Contraponto com Daniel Moreira, Composição com Dimitris Andrikopoulos e Jazz com Nuno Ferreira. Tem-se apresentado regularmente como solista em recitais em Portugal e no estrangeiro, bem como inserido em agrupamentos de música de câmara ou em programas de musica para orquestra, tendo passado por salas como Casa da Musica, Fundação Calouste Gulbenkian, Culturgest, Teatro Solis (Montevideo), Centro Cultural Kirchner (Buenos Aires), Teatro Nescafé (Santiago do Chile), FIL Guadalajara (México). Em 2010 integra a orquestra de “ Sombras “ de Ricardo Pais, estreado no Teatro Nacional S. João. No ano de 2013, lança “Chuva Oblíqua”, o seu álbum de estreia a solo, inteiramente dedicado ao repertório solista que tem vindo a desenvolver. Tem trabalhado regularmente com outros músicos, como Mário Laginha, Cristina Branco, Ricardo Ribeiro, entre outros.

Yuri Reis

Cavaquinista, violonista e compositor, Yuri Reis, iniciou-se na música através da linguagem do Choro aos 13 anos, tendo como principais referências os cavaquinhos de Canhoto, Luciana Rabello e Jonas Pereira da Silva. Iniciou os seus estudos no instrumento com Luciana Rabello e Jayme Vignolli. Dedica-se na música, à composição e ao acompanhamento de Samba e Choro. No que diz respeito ao violão, tem como principal referência a música de Dino 7 cordas, um dos grandes consolidadores do violão de acompanhamento no Brasil. Tem participado regularmente em concertos ao lado de músicos como Maurício Carrilho, Pedro Amorim, Joel Nascimento, Antônio Rocha, Ronaldo do Bandolim, Jorginho do Pandeiro, Carlinhos Leite, Regional Imperial, Monarco, Valter Alfaiate, Amélia Rabello, Cristina Buarque, dentre diversos outros.

A concert with Miguel Amaral and Yuri Reis that celebrates the International Music Day

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Rocketman de Dexter Fletcher- Cinema (Junho) Casa das Artes de Famlicão.


Cinema Digital na Casa das Artes

Entrada: 2 EUROS/ Estudante e Cartão Quadrilátero Cultural: 1 euro

Grande Auditório - 15 de Junho – 15h00 / 18h00 / 21h30



Rocketman de Dexter Fletcher

Um musical épico de fantasia sobre a incrível história de Elton John ao longo dos anos. O filme acompanha a transformação fantástica do tímido prodígio do piano, Reginald Dwight, em superestrela internacional, Elton John. Esta história inspiradora –da qual fazem parte algumas das músicas mais adoradas de Elton John e interpretadas pelo protagonista Taron Egerton –conta a história universal de como um rapaz de uma pequena cidade se tornou numa das figuras mais icónicas da cultura pop.

Título Original: Rocketman (EUA / Grã-Bretanha, 2019, 120 min)
Realizador: Dexter Fletcher
Interpretação: Taron Egerton, Jamie Bell, Bryce Dallas Howard

 Rocketman is an biographical musical drama film based on the life of musician Elton John. The film follows John's early days as a prodigy at the Royal Academy of Music up to his eventual musical partnership with Bernie Taupin

à mostra | Circo contemporâneo de 17 a 22 junho | . Coprodução Instituto Nacional de Artes do Circo / Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.


à mostra

Circo contemporâneo

Coprodução Instituto Nacional de Artes do Circo / Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

Apresentação dos Alunos Finalistas do Instituto Nacional de Artes do Circo

17 a 22 junho | segunda a sábado | 21h30 | Grande Auditório

Artes do Circo/ Circo contemporânea

Entrada: 4 euros. Estudantes Cartão Quadrilátero Cultural: 2 Euros


Dia 17 -

Abertura com a Performance da turma do Ano Técnico- Ano Preparatório para o Curso Profissional

Título: Raízes

Intérpretes Criadores (Turma do Ano Técnico):

Andrew Strauss, Bem Maman, Carolina Dias, Ciaran Ellis, Denise Stolkin, Henrique Dias, Luis Laranjeiras, Marta Faria, Miguel Moreira, Naiana Padial, Nina Pham, Quentin Denz, Vera Barbosa, Yael Bargury.

Sinopse: “Nos meus sonhos imaginava jardins de crianças. As árvores baixas dos corpos, falando, brincando  com os braços, e os pássaros pousando entre as folhas. Os braços deitavam folhas e seguravam ninhos nas mãos e as crianças eram sempre pequenas, animadas de ingenuidade, gratas pela vida sem saberem outra coisa que não a vida. E sonhava que as pessoas japonesas vinham ao jardim contemplar, e deitavam água de regadores coloridos que lavavam os pés-raízes das crianças-bonsai. E só de noite, quando bem escuro, alguém vinha com as facas para laminar as partes dos corpos que se alongavam. Laminavam cuidadosamente, todas as noites, para que não deformassem as crianças, para que avelhassem sem se notar. Incapazes de mostrar a idade. Apenas livres para usarem a idade na manutenção eufórica da infância. Sofreriam os cortes caladas. Conscientes da maravilha que aquela dor lhes trazia.”

 Autor Valter Hugo Mãe, livro a desumanização 

 Solo 1

Intérprete Criadora: Greta Miguelez

Título: Fora do normal

Sinopse: O que é normal? Será que é o que não podemos classificar?

 Solo 2

Intérprete Criador: Pablo Rubio Ruiz

Título: Ilinx

Sinopse:

“Geralmente, as pessoas olham para você quando estão conversando com você. Sei que as pessoas ficam imaginando o que eu estou pensando, mas eu não sei dizer o que elas estão pensando. É como estar num quarto com um daqueles espelhos que dá para ver através deles mas do outro lado não enxergam a gente, como nos filmes de espionagem”



O estranho caso do cachorro morto – Mark Haddon



Dia 18



Solo 3

Intérprete Criador: Diogo Santos

Título: Na Rosa dos Ventos
Sinopse: Há muito tempo, num dia regular, dei por mim perdido na rosa dos ventos; a encruzilhada do meu equilíbrio, as Quatro portas, o norte o sul o este e oeste da minha caminhada tomavam direções contrarias à minha vontade e à minha existência. 
Na rosa dos ventos encontrei quatro portas,  cada uma delas é conduzida por um sentimento,  baseado em fases cronológicas de uma viagem. É uma abordagem ao mundo quotidiano e aos  prazeres mundanos, através da linguagem do corpo, da dança e do circo
.



Solo 4

Intérprete Criadora: Amanda Gonzalez

Título : PHI

Sinopse: Comprimento dos braços mais torso, dividido entre as pernas, igual a 1,6. Umbigo para as pernas dividido entre o comprimento da cabeça ao umbigo, 1.6. Umbigo aos joelhos divididos entre os joelhos aos pés, 1,6 ...

Quando o arranjo de folhas em uma planta, a forma de um caracol Nautilus e a mesma hélice de DNA seguem o mesmo padrão é porque existe algo grande por trás, mesmo que seja apenas 1,6 ...

Tudo está conectado, viver não é uma casualidade.



Solo 5

Intérprete Criador : Etienne Tribu

Título: Là-bas

Sinopse: Là-Bàs tenta dar uma palavra aos imigrantes clandestinos que cruzam o mar mediterrâneo, que são acima de tudo viajantes, com os seus sonhos, os seus medos, as suas desilusões ...



Dia 19



Solo 6

Intérprete Criadora: Katia Rocha

Título: METALMORFOSE
Sinopse: De uma aventura podem surgir diversas  dificuldades. Um personagem e o excesso de plástico em seu redor expõem um universo absurdo, bizarro e cómico, através da técnica do Funambulismo. 



Solo 7

Intérprete Criadora: Juliana Campos

Título: Base

Sinopse: Quando a consciência não se conecta com a realidade, quando perde-se o foco do mais valioso para coisas menores, quando os interesses individuais se tornam prioridade. Existe uma dor que não quer ser sentida e que é silenciada com confetes de geração a geração. Uma subtil investigação sobre a sociedade contemporânea, propondo uma reflexão sobre erros cíclicos, enfatizando o autoritarismo e alienação.



Solo 8

Intérpretes Criadores: Jonathan Hernandez e Juanita Hernandez

Título: DOS IGUAL A UNO

Sinopse: Dos igual a uno é um exercício de catarse, dois indivíduos com modos muito diferentes de pensar conseguem curar as suas feridas causadas pela coexistência e as tensões da vida cotidiana.

Através de acrobacias aéreas e de chão, elas procurarão uma maneira de expressar suas emoções e sentimentos, tanto pessoais quanto duais, encontrando assim um equilíbrio e uma força mútua, onde as duas pessoas através de um trabalho coletivo podem ser uma.



Dia 20

Solo 9

Intérprete Criador: André Freitas

Título: Pondus

Sinopse:

Pondus – Peso

Quero livrar-me deste peso! Mas será que é ao tentar esquece-lo? Terei eu que o aceitar? Será que o poderei usar? Deverei mergulhar nele e deixar que me prenda ao passado, ou aceita-lo para poder viver o presente, não comprometendo o futuro?

Estarei ainda aqui quando terminar esta luta? Ou em um lugar melhor ou ainda pior? Este é o meu retiro, esta é a minha busca, esta é a minha viagem!





Solo 10

Intérprete Criador: Ilias Kastritis

Título: Fanciful  spirits. 

Eu não posso dar-te soluções para todos os problemas da vida,

Nem tenho respostas para as tuas dúvidas ou medos

Mas posso ouvir-te e compartilhar contigo.

Eu não posso mais estar o tempo todo sozinho

Mas quando precisares de mim estarei a teu lado,

Posso estender-te a mão para que não caias.

Eu não posso dizer-te quem és, nem quem devias ser.

Eu só posso amar-te como és e ser teu amigo.

É o suficiente se me quiseres como um amigo.

Obrigado por sê-lo.



Solo 11

Intérprete Criadora: Darya Efrat 

Título: Natural Cycles

Sinopse: Natural Cycles é um diálogo entre um pneu e uma mulher que explora tendências de repetitividade comportamental intrínseca à nossa existência humana.



Dia 21

Solo 12

Intérprete Criadora: Galini Benetatou

Título: The Music of the  Abyss 

Sinopse: Nós viemos de um abismo escuro, acabamos num abismo escuro, o espaço luminoso entre eles, nós chamamos de vida. Uma história de um corpo que oscila entre estes dois pontos, sabendo que no final ninguém terá sorte nesta vida...

Mas isso não o impede de acreditar por um só momento.



Solo 13

Intérprete Criador: Pedro Esteves

Título: Bem-querer

Sinopse:

 “Amar é sofrer a morte que fosse, que importa morrer se amar é tão doce”



Solo 14

Intérprete Criadora: Yma Wilson 

Título: Trajectory 

Sinopse:

Entre Ícaro e as suas asas existia uma profunda relação simbiótica, pois eram mais que meras estruturas de cera e penas, elas respiravam a sua própria vida e mereciam o seu próprio respeito. Alguns de nós mantêm essa mesma conexão como um "inanimado". Nós nos tornamos uma extensão de um e outro, alimentando um ao outro a vitalidade, nós damos liberdade um ao outro.



Dia 22

Solo 15

Intérprete Criadora: Johanna  Hesse
Título:" Trape Pingado "
Sinopse:

Café, símbolo da rotina diária em que estamos presos, repetindo o mesmo padrão vezes sem conta.

Como podemos escapar dessas rotinas?



Solo 16

Intérprete Criadora: Luz Garcia

Título: Vacio.

Vazio.

Total ausência de material de um elemento em um determinado espaço e lugar. Estou vazia? Eu vejo como via, mas por trás dos olhos eu me vejo vendo. Ver e sentir como um eterno sentimento de vazio que agarra as pessoas e as conduz ao extremo mais angustiado desse processo chamado vida.

Estou vazia.