sábado, 31 de maio de 2008

“An evening with…Rickie Lee Jones”


Rickie Lee Jones ganhou dois Grammys e foi nomeada para oito.

Rickie Lee Jones - piano, guitar, vocal.
Jose Maramba- bass gtr, vocal.
Petra Haden - violin, vocal.

Concerto único em Portugal.
Apoio Antena 3
12 Julho, Sábado, 22h00, Grande Auditório.
Entrada: 25 euros.
M/3
Duração: 80 m
Nascida a 8 de Novembro de 1954, Rickie Lee Jones presenciou com tenra idade o desenvolvimento dos tumultuosos anos 60 bem como o romper com o casulo do “american dream”.
Depois de uma adolescência considerada rebelde, Rickie Lee mudou-se para a “Cidade dos Anjos” a eterna L.A., trabalhando como empregada de mesa e actuando em alguns clubes, amadurecendo e enriquecendo o seu background enquanto songwriter, moldando lentamente o seu destino ao sabor da loucura e da diversidade cultural emergentes na Califórnia.
No decorrer da década de 70 Rickie Lee conhece Sal Bernardi que viria a ser seu colaborador, bem como Tom Waits por quem se apaixonou. Foi durante estes anos que trava também conhecimento com Chuck E. Weiss, que viria a inspirar o seu maior êxito comercial “Chuck E´s In love”.
Sob o ponto de vista pessoal, este é talvez o período mais interessante da vida de Ricky Lee onde não faltam especulações sobre o eventual relacionamento a 3 com Waits e Chuck nos loucos dias (E noites) do “Tropicana Hotel”.
Entre inúmeras nomeações para Grammys, Rickie viria a conquistar este prémio por duas vezes. Em 1980, o Grammy na categoria de “Best new artist”. em 1990 na categoria “Best jazz vocal performance” com a música “Making whoopee”. Em 1999 a VH1 lançou o repto aos telespectadores para que votassem nas 100 melhores artistas femininas do Rock and Roll, tendo Rickie Lee Jones recebido a honra do trigésimo lugar, ficando à frente de nomes como Tori Amos, Sheryl Crow, Bjork, Barbra Streisand, Pj Harvey ou Whitney Houston.
“The Sermon on Exposition Boulevard “ do ano passado é o seu mais recente longa duração. Quase três décadas depois do inevitável “Ricky Lee Jones” de 79.
Um longo percurso na história da música popular com um cunho muito pessoal que lhe confere já um estatuto de entidade do Rock ‘n’ Roll.

12 de Julho será o reencontro de Ricky ao piano com o público nacional, numa noite de celebração, intransmissível e pessoal, no auditório de todas as emoções, na Casa das Artes, de VNF.

3 comentários:

http://www.rendasoft.com disse...

belissimo post

Hugo disse...

A expectativa alastra... uma grande senhora! Até amanha, Ricki!
cheers

CArlos disse...

Muito bom