sábado, 11 de outubro de 2008

O INSTANTE DE CADA SEGUNDO

Exposição de Fotografia, Pintura e Cerâmica de Sandra Longras e Teresa Lares
Foyer, 2 a 30 de Novembro

A apresentação conjunta destes trabalhos surge da combinação de ideias, interesses e emoções. As obras expostas existem num triângulo de ligação artística criado pelas pintoras.
Os pormenores de cada expressão plástica ocupam lugares que, ao serem ampliados preenchem todo o espaço, de forma envolvente.
As telas transpiram o artifício da representação: das coisas nascem coisas, diz um Munari presente; as coisas que não são coisas, são cores e, as cores que não são cores, são coisas.
Fotografia, Pintura e Cerâmica coexistem harmoniosamente num espaço, numa cor e num tempo de equilíbrio.
As produções artísticas resultam da integração de conceitos e pesquisas, das vivências e actividades individuais e em parceria.
Espaço brancos…pincéis de cor… Formas disformes, manchas em exercício e traços contínuos… últimas emoções ultrapassadas pelos instantes de cada segundo.
Vermelho… Verde… Branco… Amarelo… Preto… organizam-se em formas que deslizam, desprendidamente, distraidamente, como que por acaso.
As telas projectam olhares, lugares desabitados e imaginários.
As representações são indirectas, por vezes mudas, mas luminosas.
A tela em branco… ao encontro do princípio no instante de cada segundo.

O mundo é uma amálgama de aromas que se unem propagando sensações como ondas sonoras. Trazem lembranças do que fomos quando nos lambem as narinas. Por vezes sentimos os aromas que rodopiam e provocam um frenesim à flor da pele. Outros há, que brutalmente se encostam como cactos espinhosos e solitários num deserto sem fim. Contudo, compõem as formas que vagueiam ao sabor da brisa húmida.
T. Lares

As pinturas surgem sub carregadas por excessos que do inconsciente se traduzem em formas, cores e traços. Independentemente no abstracto/semi-figurativo, estabeleço um discurso estético de tonalidades que identificam a individualidade da mensagem, a transmitir no momento próprio da criação: é esta a espontaneidade do meu trabalho. Actualmente tem um espaço para realizar os meus trabalhos. A figura humana ocupa sempre um papel de destaque nas minhas pinturas, de forma mais ou menos implícita. A pintura tornou-se um vício do qual não me consigo desprender, uma fonte de ligação à vida terrena.
S.Longras

1 comentário:

João da Cruz Pericão de Faria disse...

Ex.mos Senhores,
Venho por este meio solicitar a alteração da minha morada para poder continuar a receber a vossa programação. A morada de envio actual é Rua Luis Barroso, Edificio Sagres, Escritório 6, 4760-153 Vila Nova de Famalicão. A nova morada é Rua Adolfo Casais Monteiro, n.º 46, 5º A, 4760-113 Vila Nova de Famalicão.
Atenciosamente
João da Cruz Pericão de Faria