quinta-feira, 5 de maio de 2022

Emmy Curl – 15 years | Casa das Artes de Famalicão.

 


Emmy Curl – 15 years

28 de Maio | sábado, 23h00 | Café-concerto

Musica

Entrada: 3 euros. Estudante, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir dos 65 anos): 1,5 Euros

M/6

Duração: 60 min

15 years é o novo trabalho de Emmy Curl que a vai levar de volta aos palcos numa nova digressão.  A artista explica este novo trabalho: "Após a minha primeira mudança de país para a Dinamarca, após a pandemia, a gravidez, a prematuridade em tempos de isolamento e voltar a Portugal para viver no Funchal, decidi que a minha carreira merecia um novo capítulo. Quando começo novos estágios da minha vida gosto de fechar ciclos com algo que se assemelha a um ritual. Este "best of", ao qual chamei 15 years, não é nada mais do que uma amalgama dos melhores temas que compus desde 2007. Este disco sairá em CD e vinil e transportará consigo imagens e criações visuais da minha autoria além dos meus retratos, alguns auto-retratos, em ordem cronológica desde então”.

Catarina Miranda, nasceu em Trás-os-Montes na aurora dos anos 90. Tão ligada à música como às artes visuais não tem parado de questionar o seu lugar na arte e no mundo, abarcando na sua obra a toda-poderosa Natureza. Transportando as memórias telúricas da região que a viu nascer, mas também a experiência conquistada numa metrópole como Copenhaga, Emmy Curl apresenta a sua música feita de sonho e desafio. Uma força-fêmea para nos ajudar a ver o mundo com mais luz.

A concert by Emmy Curl, in a tour that celebrates fifteen years of songs

Falling into Super Untold - Estreia Uma produção da INTRANZYT em coprodução com a Casa das Artes de Famalicão


Falling into Super Untold - Estreia

Uma produção da INTRANZYT em coprodução com a Casa das Artes de Famalicão

27 e 28 de Maio | 6.ª feira e sábado, 21h30 | Grande Auditório

Dança

Entrada: 4 euros. Estudante, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir dos 65 anos): 2 Euros

M/6

Duração: 80 min

As peças criadas por Ayano Tatekawa, Miguel Esteves e Tiago Manquinho para a companhia INTRANZYT Cia.®, partiram dos conceitos e dos conteúdos coreográficos e narrativos dos seus discursos artísticos, diferentes entre eles, mas também da sua visão social e filosófica, comum, sobre aspetos sociais e filosóficos.

Falling into Super Untold é o resultado de sete meses de trabalho, onde Ayano Tatekawa, Miguel Esteves e Tiago Manquinho, criaram três discursos coreográficos sobre a solidariedade, a compaixão, a empatia, a confiança, o amor, o fim ou a procura do significado de “fim” nos recomeços e “…a reflexão sobre as muitas vozes silenciosas às quais não é dado o palco necessário para as suas causas.”

Falling into Super Untold é um espetáculo contemplativo e refletivo que pede a introspeção do recetor, sem deixar de ser intenso do ponto de vista físico e envolvente coreograficamente.

Falling in Horizontal
Coreografia: Ayano Tatekawa
Música: Chiron's theme chopped & screwed (knock down stay down) - Nicholas Britell (Published: Lakeshore Records) - The Last Foundry - Raime (Published: RR) - Found Song For P. - Max Richter
(Published: Deutsche Grammophon DG) - Le secret - Mathieu Lamboley (Published: Milan) - The Waiting Room - Paul Haslinger (Published: Artificial Instinct)
Bailarinos dia 27: Doriane Argelies, Inês Barros, Flôr Rosa, Leonor Silva, Kauêh Costa
Bailarinos dia 28: Leonor Silva, Sara Musumesi, Inês Gomes, Ema Dias, Rodrigo Pereira.
Desenho de luz: Cláudia Valente / Ayano Tatekawa
Figurinos: Ayano Tatakawa

Supernova
Coreografia: Miguel Esteve
Música: S.T.A.Y. / Mountains
Bailarinos dia 27: Ayano Tatekawa, Inês Barros, Kauêh Costa, Rodrigo Pereira
Bailarinos dia 28: Flôr Rosa, Sara Musumeci, Kauêh Costa, Rodrigo Pereira
Desenho de luz: Miguel Esteves
Figurinos: Miguel Esteves
Estreia absoluta: Theater Hagen 2017

Ficha artística

Untold Stories
Coreografia: Tiago Manquinho
Música:
1.Laus Trinitati, Composicao: Hildegard von Bingen, Musicos: La Reverdie
2.O Virtus Sapiente, Composicao: Hildegard von Bingen, Musicos: Kronos Quartet
3. Il primo libro delle musiche: No.3, Lasciatemi qui solo, Composicao: Francesca Caccini, Musicos: Ruby Hughes, Jonas Nordberg & Mime Yamahiro-Brinkmann
Bailarinos dia 27: Ayano Tatekawa, Ema Dias, Flôr Rosa, Kauêh Costa, Sara Musumeci, Inês Barros, Doriane Argellies
Bailarinos dia 28: Rodrigo Pereira, Inês Gomes, Celia Foster, Leonor Silva, Margarida Filipe, Ayano Tatekawa, Lucia Marrodan
Desenho de luz: Tiago Manquinho
Figurinos: Adriana M.

Produção: INTRANZYT Cia.®
Coprodução: Casa das Artes de Famalicão
Apoio: Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
Direção artística INTRANZYT Cia.®: Cristina Pereira e Vasco Macide

“Falling into Super Untold”, it’s a group of new choreographies design for the company Intransyt

Bebemos Palavras a Mais?! Com Luísa Pinto e Cristina Bacelar | Casa das Artes de Famalicão.


 Bebemos Palavras a Mais?!

Com Luísa Pinto e Cristina Bacelar

21 de Maio | sábado, 23h00 | Café-concerto

Musica/Poesia

Entrada: 3 euros. Estudante, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir dos 65 anos): 1,5 Euros

M/6

Duração: 60 min

Um projeto que cruza a poesia com a música e fala de como o amor é um lugar estranhamente bonito em todas as suas versões e que até mesmo dentro dele, o humor tem o seu espaço. Bebemos palavras a mais?!  propõe um exercício, uma toada profunda sobre esse lugar do Humano numa viagem que vai do erudito ao popular, entre a palavra dita e cantada, tocada e encenada.

“Bebemos Palavras a Mais?!”, it’s a interception between music and poetry

Rainha da Beleza - Estreia - Com texto Martin McDonagh e encenação de João Cardoso Uma Coprodução da Assedio Teatro e da Casa das Artes de Famalicão.

 


Rainha da Beleza - Estreia

Com texto Martin McDonagh e encenação de João Cardoso

Uma Coprodução da Assedio Teatro e da Casa das Artes de Famalicão.

20 a 22 de Maio | 6.ª feira e sábado, 21h30 | Domingo, 17h00 | Grande Auditório

Teatro

Entrada: 6 euros. Estudante, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir dos 65 anos): 3 Euros

M/12

Duração: 90 min

 A Rainha da Beleza passa-se em Leenane, na Irlanda. Um lugar onde chove sempre e quase todos emigram em busca de liberdade e trabalho.

Numa combinação de comédia ácida, comédia negra e tragédia sombria, esta peça é uma tragicomédia repleta de humor, crueldade, amor e solidão. A história gira em torno de Maureen, uma mulher solteira de quarenta anos que se ocupa da sua mãe, Mag, uma mulher de setenta anos, egoísta e manipuladora. As duas irmãs de Maureen já saíram de casa, mas esta, com um passado instável, ficou presa em casa com a mãe.

Durante a peça, a casa da família Folan é visitada pelo jovem Ray Dooley e pelo seu irmão mais velho Pato Dooley, um homem cansado por ser obrigado a trabalhar em Inglaterra e frustrado pela solidão da sua vida. A expectativa de uma história de amor entre Maureen e Pato é completamente subvertida, numa intriga cheia de surpresas, segredos e traições.

Texto: Martin McDonagh
Tradução: Francisco Luís Parreira
Encenação: João Cardoso
Interpretação: Benedita Pereira; João Castro; Filomena Gigante; Pedro Quiroga Cardoso
Cenografia e Figurinos: Sissa Afonso
Desenho de luz:
Sonoplastia: Francisco Leal
Produção executiva: João Castro

“Rainha da Beleza”, a play by Martin McDonagh  staged by João Cardoso, placed in a rainy Ireland

Plastikus | Casa das Artes de Famalicão

 


Plastikus

Pela Companhia Krisálida

Teatro com marionetas para maiores de três anos

14 de Maio | Sábado| 11h00|15h00 |Pequeno Auditório

Entrada: 5 euros para adulto, com entrada livre para a criança

Duração: 45 min

 Ondina vive junto às ondas do mar, onde elas rebentam e enchem de espuma a praia. Durante muitos e muito anos, apenas a espuma banhava a areia da praia. E era aí que Ondina brincava com os seixos e com a espuma do mar. Mas novos objetos com sons, cores e formas extraordinárias surgiram na sua vida e Ondina gostava de brincar com eles. Pareciam uma nova espécie muito amigável e tão prestável que, devagarinho, se foram entranhando na sua vida. Quanto mais se entranhavam, mais ela precisava deles e sem dar por isso, o PLASTIKUS tornou-se absolutamente indispensável. E, assim cresceu, cresceu, cresceu na sua vida e Ondina rapidamente descobriu que ele estava por todo o lado! Por todo o lado mesmo!

 Encenação: Clara Ribeiro

Interpretação: Carla Magalhães, Raquel P. Ribeiro e Nuno J. Loureiro

Direção Plástica e Marionetas: Teatro e Marionetas de Mandrágora

Espaço Cénico, Adereços e Figurinos: Grácia Cordeiro

Desenho de Luz: Rui Gonçalves

Desenho de Som: Manuel Brásio

Design: Ricardo Ferreira

Comunicação: Rubina Jassat

Assistência de Produção: Ângela Calisto

Produção: Krisálida 

Plastikus is program with puppets for families

 

Ópera Os Noivos - Estreia | Casa das Artes de Famalicão.

 

Ópera Os Noivos - Estreia

Ópera

Música de Francisco de Sá Noronha, libreto de Artur Azevedo e a participação da Orquestra da ESMAE

13 de Maio | sexta-feira| 21h00| Grande Auditório.

Entrada: 6 euros. Estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir de 65 anos): 3 Euros

M/6

Duração: 180 m

Opereta de costumes em 3 atos, terminada em Julho de 1880 e levada à cena em Outubro seguinte, no Rio de janeiro e que será estreia Nacional em Maio de 2022. Tem como pano de fundo a vida rural nas fazendas da periferia carioca, no final do século XIX. O enredo centra-se nos jogos amorosos dos casais Leonor e Frederico, respetivamente protegida do Tenente-coronel e seu filho, e entre Francelina e o Doutor Pinheiro, ela habitante da corte, ele magistrado na vila mais próxima da fazenda. Pelo meio do enredo, todo um conjunto de personagens que dão o verdadeiro colorido local e o pitoresco típico das intrigas sociais e políticas das pequenas vilas da então zona cafeeira.

Este novo projeto que a ESMAE pretende levar à cena através do seu Estúdio de Ópera e da Pós-graduação em Ópera e Estudos Músico-teatrais, contamos, é uma produção conjunta com MUSICAMERA-produções. Com Direção Artística de António Salgado, Encenação de António Durães e Direção Musical de José Gomes, conta ainda com a coordenação científica da Professora Luísa Cymbron, do Departamento de Ciências Musicais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - NOVA FCSH.

 

Ficha Artística

Música: Francisco de Sá Noronha (Transcrição Moderna do Manuscrito – Brian Mackay)

Libreto: Artur Azevedo

Direção Artística - António Salgado

Direção Musical - José Eduardo Gomes.

Encenação - António Durães

Direção de Movimento - Cláudia Marisa

Figurinista - Manuela Bronze

Cenografia - Marta Silva

Desenho de Luzes - Rui Damas

Direção e Registo em DVD - Marco Barbosa

Direção de Produção - Regina Castro

Direção Vocal - Rui Taveira e António Salgado

Assistente de Produção e Direção de Cena – Ana Faria

Orquestra da ESMAE (Coletivo) – Alunos da Licenciatura em Música e MIA

Coordenação do Coletivo - Jorge Alves

 

Elenco

O Tenente-Coronel – Sérgio Ramos

Frederico – Marcelo Alexandre

Passos Pereira – Ricardo Rebelo

O Doutor Pinheiro – Henrique Lencastre

Leonor – Maria Mendes/Beatriz Patrocínio

Francelina – Joana Santos/Beatriz Ramos

Dona Maria – Júlia Santos/Ana Rosa

Raimundo – Cliff Pereira

O Vigário – Erick Valverde/Miguel Soares

O Mestre Escola – Carlos Meireles

Clorindo – aluno/a da licenciatura em música/mestrado da ESMAE

Salustiano - aluno/a da licenciatura em música/mestrado da ESMAE

Fabrício – aluno/a da licenciatura em música/mestrado da ESMAE

Um Escravo – aluno/a da licenciatura em música/mestrado da ESMAE

Escravos(as), convidados(as), rapazes da escola – alunos/as da licenciatura em música/mestrado da ESMAE

 

Os Noivos, an Opera with music by Francisco de Sá Noronha and libretto Artur Azevedo

Fado no Café da Casa -maio | Casa das Artes de Famalicão.


Fado no Café da Casa

Musica/ Fado

12 de Maio| quinta-feira | 21h30| café concerto

Entrada: 3 euros. Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 1,5 Euros

M/6

Duração: 80 min

Uma coprodução da Casa das Artes de Famalicão e a ACAFADO – Associação Cultural & Artística Famalicão Fado.

1ª parte–  Mónica Jarimba

2ª parte – Bruno Alves

Guitarra Portuguesa – João Martins

Viola de Fado – João Araújo

Viola baixo – Filipe Fernandes

Enaltecendo o Fado, a Casa das Artes irá celebrá-lo-á mensalmente e além de receber fadistas consagrados, será dada a oportunidade a novos intérpretes, músicos e até compositores. No Café Concerto decorrerão estas noites de fado, como se de uma típica e tradicional tasca de se tratasse, elevando e acompanhando o reconhecimento do “nosso” Fado, como Património Imaterial da Humanidade, atestado pela UNESCO.

A night with Fado in Café-concerto

MUSICA PARA FAMÍLIAS 2022 - 5º CICLO DE CONCERTOS PROMENADE DA CASA DAS ARTES DE VILA NOVA DE FAMALICÃO

 


MUSICA PARA FAMÍLIAS 2022

5º CICLO DE CONCERTOS PROMENADE DA CASA DAS ARTES DE VILA NOVA DE FAMALICÃO

100% Percussão - Grupo de Percussão da EPME (Espinho)

Programa: Obras de Nebojsa Zivkovic; Victor LaBozzetta III; Ivan Trevino

8 de Maio | 11h30 | Grande Auditório 

Entrada: 4 EUROS/ Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 2 Euros

M/4 -Duração: 70 min

A Casa das Artes organiza em coprodução com a APROARTE- Associação das Escolas Profissionais de Música os Concertos para as Famílias 2022. Adotando o formato dos Concertos Promenade, de Maio a Dezembro, aos domingos de manhã, a grande música, tocada pelas Orquestras das Escolas Profissionais, e explicada com interação multimédia, será usufruída por todas as idades num ambiente descontraído e de grande qualidade artística.

Music for families in the fifth season of promenade concerts.

CLOSE-UP – Observatório de Cinema de Famalicão Episódio 6.3 – 7 e 21 de Maio | Casa das Artes de Famalicão.

                                  

CLOSE-UP – Observatório de Cinema de Famalicão 

Episódio 6.3 – 7 e 21 de Maio

Nesta terceira e última réplica do sexto episódio, com o sétimo episódio no horizonte de Outubro, promovemos o cruzamento e o encontro de vários públicos, com três propostas:

(1)  o desfecho das histórias do cinema, que desde Outubro cruzaram Wong Kar-way com Hong Sang-soo, com um dos mais recentes filmes do prolifico coreano, A Mulher que Fugiu;

(2) um importante objecto híbrido, entre a ficção e o documentário, em Acto da Primavera de Manoel de Oliveira, no encontro tão caloroso quanto metafísico com uma comunidade transmontana no Portugal dos anos 60;

 (3) uma sessão de curtas-metragens de animação para famílias, em parceria com o programa Animar 17 (organizado pelo Curtas de Vila do Conde).

 

7.Mai – (15h00, PA) – A MULHER QUE FUGIU de Hong Sagg-soo (secção Histórias do Cinema, In The Mood for Kar-way e Sang-soo)

Casada há cinco anos, a jovem Gam-hee nunca esteve longe do marido um dia que fosse. Agora que ele se ausentou numa viagem de negócios para fora de Seul, ela aproveita a ocasião para visitar três grandes amigas que há muito não vê. Cada encontro, assim como a conversa que tem com cada uma das raparigas, vai ter um forte impacto em como Gam-hee vê o seu relacionamento. Isso vai fazê-la reavaliar as escolhas feitas até aqui.  Um filme dramático escrito e realizado pelo aclamado realizador sul-coreano Hong Sang-soo ("Noite e Dia", "Noutro País", "Sítio Certo, História Errada", "O Dia Seguinte") que arrecadou o Urso de Prata de Melhor Realizador no Festival de Cinema de Berlim. Com Kim Min-hee – musa e companheira na vida real de Sang-soo –, a assumir o papel de protagonista.

Título original: Domangchin yeoja/The Woman Who Ran (Coreia do Sul, 2020, 75 min.)
Realização: Hong Sang-Soo
Interpretação: Kim Min-hee, Seo Young-hwa, Song Seon-mi, Kim Sae-byuk
Classificação: M/12

The Woman Who Ran is a 2020 South Korean film written and directed by Hong Sang-soo, that was selected to compete at the 70th Berlin Film Festival, and won the Silver Bear for Best Director.

 

7.Mai – (16h30, PA) – ACTO DA PRIMAVERA de Manoel de Oliveira (secção Paisagens Temáticas, a Comunidade)

Representação popular do Auto da Paixão, segundo um texto medieval do século XVI, de Francisco Vaz de Guimarães, apreendendo a atmosfera duma comunidade que, para além das fainas e dos ritmos quotidianos, se transfigura em seus rituais ingénuos, mas sinceros. Ao espetáculo, celebrado pela Páscoa e de iniciativa própria, assistem as gentes das aldeias vizinhas, sendo antecedido por uma apresentação, em que se enumeram as suas diversas fases. Acto da Primavera adapta um auto da Paixão que se realiza anualmente numa aldeia transmontana. A população da Curalha interpreta todos os papéis do Acto, a que Oliveira dá uma dimensão metafísica que transcende o simples registo da representação. Uma singular reflexão, também, sobre a forma como o humano se revê no sagrado. (Cinemateca Portuguesa)

Título original: Acto da Primavera (Portugal, 1963, 90 min.)
Realização: Manoel de Oliveira
Classificação: M/12

Acto da Primavera by Manoel de Oliveira in a community of Trás-os-Montes in the sixties.

 

21.Mai – (15h00, PA) – sessão de curtas-metragens de animação para famílias (secção Sessões para Famílias)

M/6 anos
40 minutos

A Menina Parada de Joana Toste (Portugal, 2021, 9 min)

Uma menina perde-se da mãe e recusa-se a sair do mesmo lugar. Um polícia impede todos os outros de a obrigarem a mexer-se. A menina parada e o polícia que a guarda param o  trânsito e agitam os corações da cidade.

 

Dodu – O Rapaz de Cartão de José Miguel Ribeiro (Portugal, 2010, 5 min)

Um rapaz de cartão. Um caixote de cartão. Um rapaz de cartão faz-de-conta dentro dum caixote de cartão. Dodu, o rapaz de cartão, é muito sensível e vive numa cidade hostil para as crianças. Por isso, passa muitas horas dentro de casa, a brincar com Carica, a sua amiga joaninha. Sempre que Dodu arranha a superfície do caixote de cartão, cria mundos maravilhosos habitados por criaturas invulgares que o ajudam a lidar com as suas emoções e a crescer.

 

O Canto dos 4 Caminhos de Nuno Amorim (Portugal, 2014, 12 min)

Há muito tempo, quando Tião era guarda de um campo de milho, perdera, por culpa sua, a companhia de uma pega-rabuda por quem, inadvertidamente, se afeiçoara. Desde esse dia, em que o silêncio envolveu o campo, Tião procura reaver o canto perdido daquela ave.

 

Ride de Paul Bush (Portugal/Reino Unido, 2018, 6 min)

Centenas de motas são animadas imagem por imagem nesta homenagem ao icónico design das motas da cultura dos anos 50 e 60. Um motoqueiro prepara a sua mota e parte numa
idealizada viagem pelo campo rumo ao futuro.

 

Ema & Gui de Nuno Beato (Portugal, 2010, 7 min)

Gui, o amigo imaginário de Ema, vive no mundo que fica para lá das nuvens. Ema, é uma miúda sonhadora que não larga um estranho par de botas mágicas. Ao longo dos episódios Ema
tem de ir ajudar o seu amigo Gui. Durante estas aventuras, a Ema descobre como é maravilhoso o mundo mágico para onde o Gui a leva e fica fascinada com a ideia de se mudar para lá. O Gui nessas viagens faz descobrir à Ema que afinal o mundo de onde ela vem pode ser tão bom como o mundo para lá das nuvens. Eles acabam por se tornar os dois melhores amigos.

Animation Short films, a program for families

 

 

Bilheteira Sessões

Geral: 2 euros

As Artimanhas de Scapin - Estreia | Casa das Artes de Famalicão.


As Artimanhas de Scapin - Estreia

Teatro

Uma coprodução da ACE Famalicão e da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão

5 e 6 de Maio | quinta-feira e sexta-feira| 21h30| Grande Auditório.

Entrada: 4 euros. Estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir de 65 anos): 2 Euros

M/12

Duração: 85 m

 “Filhos versus Pais, Juventude versus Velhice, Amor versus Dinheiro”

 Parece o tema de um filme de Hollywood. Poderia ser até uma publicidade à nova novela da noite vista ao longe num cartaz na autoestrada.

Mas vamos usar esta frase como sinopse deste espectáculo, construído hoje, agora, alicerçado nas suas fundações lançadas há 350 anos (a obra original estreou absolutamente em Maio de 1671 no teatro do Palais-Royal).

Esta comédia é constituída por um intrínseco esquema novelesco que faz suceder jogos de estatuto, comédia de enganos, gags físicos ou cenas densas amorosas à velocidade de um virar de página, arrebatando o espectador e mantendo a narrativa activa com um ritmo de filme de acção contemporâneo. 

Apesar de “As artimanhas de Scapin” ser das últimas peças de Molière, é vista como um regresso às suas primeiras obras e à escola da commedia dell’arte que sempre influenciou a escrita do opíparo dramaturgo.

É, portanto, o melhor de dois mundos, conjugando a simplicidade narrativa do esquema italiano com a densidade psicológica francesa que Molière, com mestria, lhe imprime.

Como exercício, para estes alunos que agora se lançam ao palco, constitui um desafio de elevada dificuldade, porém, com uma recompensa à altura: a de darem corpo às palavras de um dos melhores e mais representados autores da história.

Arduamente, levando à cena com competência este texto, preparados estarão para viagens mais plácidas nos seus percursos académicos e profissionais.

Uma coisa é certa, seja em 1671 ou em 2022, há algo a que não podemos fugir: à nossa condição de sermos humanos. E é, em última análise, sobre isto que este espectáculo nos fala.

António Parra

 Ficha Artística

Texto: Molière

Tradução: Leopoldo de Araújo

Encenação: António Parra

Elenco (ACE): Alexandra Sousa, Beatriz Cardoso, Beatriz Paquete, Beatriz Pelayo, Carminho Postiga, Carolina Figueiredo, Catarina Coelho, Emanuel Mirra, Filipa Morim, Lara Maio, Lemos, Leonor Neto, Luísa Araújo, Lukas, Márcia Rodrigues, Margarida Airosa, Margarida Pinto, Margarida Teixeira, Maria Cunha, Maria Nogueira, Mariana Casqueira

Cenografia: Ana Gormicho

Figurinos e Adereços: Paula Cabral

Iluminação: José Saraiva

Sonoplastia: Fábio Ferreira

Fotografia de Cena: João Duarte

Registo de Vídeo: Rui Bezerra

Cabelos: José Resende

Direção de Produção: Glória Cheio

Produção: Sofia Peralta

 As Artimanhas de Scapin, a play by Molière, presented by ACE and staged by António Parra

400 anos do nascimento de Molière | Casa das Artes de Famalicão e Teatro Narciso Ferreira

 400 anos do nascimento de Molière

 Os 400 anos do nascimento de Molière estão a ser celebrados em Vila Nova de Famalicão num projeto cultural de promoção da dramaturgia que envolve professores e alunos de diversas escolas. Tudo culminará, nos de 5 a 7 de maio, no Teatro Narciso Ferreira e na Casa das Artes de Famalicão num Festival de Teatro. Previamente, desde setembro de 2021, tudo começou a ser preparado com a realização de uma ação de formação dirigida a professores de Francês e ministrada pelo formador Jan Nowak – “Drameducation – dispositivo 10 sur 10”. Esta ação teve como objetivo preparar os professores da disciplina de Francês a encenar com os seus alunos do 3.º ciclo uma das peças de teatro de Molière, em francês, para o Festival de Teatro.

Para além das Escolas do Ensino Básico, também os alunos do Curso de Teatro da ACE Famalicão estão mobilizados para estas comemorações, e vão apresentar um espetáculo baseado numa peça de Molière, nos dias 5 e 6 de maio, à noite, na Casa das Artes. Estes mesmos alunos terão oportunidade de participarem numa masterclass com um ator da Comédie Française.

No dia 7 maio, decorrerá no Teatro Narciso Ferreira, com a presença da comunidade escolar, a representação em francês pelos alunos do 3.º ciclo das peças selecionadas para o festival. Nesse mesmo dia, à noite, terá lugar o encerramento da iniciativa na Casa das Artes de Famalicão com a representação a solo de um ator da Comédie Française, numa cerimónia com representação diplomática e a presença dos parceiros envolvidos.

As comemorações dos 400 anos do nascimento de Molière em Portugal é uma iniciativa que envolve o Instituto Francês de Portugal/Embaixada de França em Portugal, a Alliance Française de Guimarães-Braga, o E.Leclerc Famalicão (Culturissimo France), a ACE Famalicão - Escola de Artes,  a APPF - Associação Portuguesa de Professores de Francês, o “Drameducation – dispositivo 10 sur 10”, o Agrupamento de Escolas D. Sancho I, o Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado e o Agrupamento de Escolas de Gondifelos.


elos.

Eixo do Jazz Ensemble meets MÁRIO LAGINHA | Casa das Artes de Famalicão.


Dia mundial do JAZZ

Eixo do Jazz Ensemble  meets MÁRIO LAGINHA


Música

30 de Abril | sábado | 21h30| Grande Auditório.

Entrada: 6 euros. Estudantes, Cartão Quadrilátero Cultural e Seniores (a partir de 65 anos): 3 Euros

M/6

Duração: 60 m

Este é o concerto de apresentação do disco em que o Eixo do Jazz Ensemble se reuniu com Mário Laginha e a que se chamou EJE meets Mário Laginha.

Em 2019, na residência Jazz na Aldeia com Mário Laginha, por sugestão do próprio, o Eixo do Jazz decidiu basear as residências no estudo no repertório dos músicos convidados, portugueses e galegos, e criar um ensemble que pudesse fazer a divulgação desses repertórios.

Em 2020, e contra todas as adversidades desse ano, foi feita a gravação em confinamento, do repertório de Mário Laginha, interpretado pelo mesmo e pelo Eixo do Jazz Ensemble (EJE), para a edição de um disco, disco esse que irá ser lançado no dia 30 de Abril, Dia Internacional do Jazz, na Casa das Artes de Famalicão.

O Eixo do Jazz Ensemble, é constituído por músicos selecionados pelo Eixo do Jazz e pelo director artístico Diego Alonso e ainda este ano tenciona gravar mais dois discos com os repertórios de Iago Fernandez e de João Paulo Esteves da Silva.

Ficha Artística

Mário Laginha: Repertório e Piano

Diego Alonso: Arranjos

Vozes: Joana Raquel e Teresinha Sarmento

Piano: Miguel Meirinhos

Saxofones: Diego Alonso e João Paulo Silva

Trombone: Gil Silva

Contrabaixo: Yudit Almeida

Bateria: Zé Stark

 

Uma produção Eixo do Jazz, associação Luso-Galaica para promoção do Jazz

 

 

A concert with Mário Laginha that meets Eixo do Jazz Emsemble